Comercialização, Instalação e Manutenção de Extintores

A First Help está certificada pela norma NP4413:2019, para além de que seguimos as recomendações da norma NP4513:2012 que referência a comercialização, instalação de equipamentos de segurança contra incêndios em edificios. Para além de que estamos registados ao abrigo da portaria 773/2009 na ANEPC (Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil), para todas areas e com todas as valências. 

Os sistemas de extinção de incêndios podem dar-se pela eliminação ou redução de um ou mais dos componentes do tetraedro do fogo (combustivel, comburente, energia de activação e reacção em cadeia). Os mecanismos de extinção são:
- Arrefecimento
- Carência ou diluição
- Asfixia ou abafamento
- Inibição ou catálise negativa

Os serviços básicos podem incluir
  • Comercialização, instalação e manutenção de extintores portáteis
  • Comercialização, instalação e manutenção Extintores fixos
  • Comercialização, instalação e manutenção Carreteis
  • Comercialização, instalação e manutenção sistemas de extinção automática por Sprinklers
  • Comercialização e instalação de Mantas de incêndio
  • Comercialização, instalação e manutenção de Caixa/balde de areia
Um sistema de extinção de incêndio é composto por diversos equipamentos, colocados em locais estratégicos para minimizar o tempo de intervenção e danos causados por um incêndio…
 
Obrigatoriedades Legais das Empresas Instaladores de Equipamentos - Sistemas de Proteção Ativa Contra Incêndio

1. Obrigatória a posse de Alvará/Titulo de Registo do IMPIC

2. Registo na Autoridade Nacional de Protecção Civil

3. Livro de Reclamações

4. Relatório Único

5. Gestão de Resíduos


Contactar nos

Questões Frequentes

De quem é a responsabilidade da verificação trimestral dos extintores?

A norma relativa à manutenção de extintores recomenda ao responsável de segurança a realização da verificação trimestral (exame visual).

Como saber se um Extintor cumpre com a Legislação Aplicável e foi adequadamente instalado e mantido?

Para saber se um extintor respeita a legislação que lhe é aplicável, e o estabelecido no referente à sua instalação e manutenção, há que verificar se são cumpridas as condições seguintes:
 
  • O extintor tem aposta a marcação CE (só é obrigatória para equipamentos que tenham data de fabrico posterior a maio de 2002)
  • O extintor está instalado num local visível, acessível e nas zonas de maior risco de incêndio do edifício
  • O extintor está fixo em suporte próprio e instalado de forma que o seu manípulo não esteja a uma altura superior a 1,20m do pavimento
  • A etiqueta de manutenção cumpre com a NP 4413, tem os campos todos preenchidos e está devidamente atualizada
  • O extintor está devidamente sinalizado
  • A empresa de manutenção de extintores possui a certificação do serviço segundo a NP 4413

Qualidade no Serviço de Manutenção de Extintores


A proteção contra Incêndio assume um papel preponderante na garantia das condições de segurança dos locais de trabalho.
 
Entre as várias soluções existentes, destacam-se os extintores de incêndio, por serem equipamentos de primeira intervenção, o que significa que a sua utilização é adequada ao combate dos incêndios na fase inicial dos mesmos.
 
A utilização correta de um extintor de incêndio pode fazer a diferença entre a vida e a morte, extinguir um incêndio ou controlá-lo até à chegada da corporação de bombeiros.
 
Se um extintor de incêndio não estiver convenientemente instalado, se não estiver operacional ou se não for utilizado corretamente, pode não cumprir com a sua função. Assim, para que estejam permanentemente operacionais, os extintores necessitam de ser submetidos a inspeções regulares e manutenções anuais.
 
A certificação do serviço de manutenção de extintores segundo a NP 4413 garante que estes procedimentos são efetuados por empresas especializadas, com instalações técnicas devidamente equipadas e executadas por profissionais qualificados e competentes.
 
A certificação segundo a NP 4413 é obrigatória por lei desde Janeiro de 2009, com a entrada em vigor do Regulamento Técnico de Segurança contra Incêndio em Edifícios (Portaria nº 1532/2008, de 29 de dezembro).
 
As normas por si só não são de cumprimento legal obrigatório, já que constituem guias de boas práticas, sendo, portanto, de cumprimento voluntário. No entanto, a partir do momento em que são referidas em qualquer documento legislativo, passam a ter carácter de lei, sendo as suas disposições de cumprimento legal obrigatório. Foi o que sucedeu com a Norma Portuguesa 4413, ao ser referida na Portaria nº 1532/2008, de 29 de dezembro.
 
A qualidade de qualquer produto/equipamento de segurança é indissociável da qualidade da sua instalação e manutenção.
 
A certificação do serviço de manutenção de extintores segundo a Norma Portuguesa 4413 atesta a qualidade do serviço de manutenção fornecido, a competência dos técnicos que o prestam e o cumprimento de exigências mínimas no referente a instalações e organização.
 
Assim sendo, a certificação do serviço de manutenção de extintores garante que em todas as etapas da prestação do serviço são cumpridos os requisitos da NP 4413.

Sou obrigado a efetuar manutenção periodica dos meus sistemas de segurança? 

Sim, anualmente.

A First Help efetua manutenção de extintores no Montijo, Pinhal Novo, Alcochete, Moita, Barreiro, Setúbal?

Efetuamos instalação e manutenção de extintores em todo o território Nacional. 

Como Escolher um Extintor de Incêndio?


A seleção dos extintores de incêndio deve ser efetuada tendo por base o risco a proteger, cuja avaliação deve ter em consideração o tipo e quantidade de material combustível existente no local.
 

CLASSE A

Em locais onde exista probabilidade de ocorrência de fogos da classe A, isto é, que tenham como origem materiais sólidos, de natureza geralmente orgânica, como por exemplo madeira, papel, carvão ou têxteis, deve optar-se por extintores à base de água, extintores de espuma, extintores de pó químico seco ABC ou extintores de hidrofluorocarbonetos (HFC’s).
 

CLASSE B

Para fogos em combustíveis líquidos (fogos da classe B), deve optar-se por extintores de espuma, extintores de água com aditivo, extintores de pó químico seco BC ou ABC, extintores de dióxido de carbono ou extintores de hidrofluorocarbonetos (HFC’s).

Na extinção de fogos em líquidos inflamáveis sob pressão os extintores de incêndio da Classe B que contenham agentes extintores distintos do pó químico são relativamente ineficazes neste tipo de risco devido às características do agente extintor e do jato. A seleção de extintores para a proteção de locais caracterizados por este tipo de fogos deve ser efetuada com base nas recomendações dos fabricantes dos equipamentos e dispositivos que contenham líquidos inflamáveis sob pressão.


CLASSE C

No caso de fogos que tenham origem em gases combustíveis (fogos da classe C), a solução é optar por extintores de pó químico seco do tipo BC ou ABC ou por extintores de hidrofluorocarbonetos (HFC’s).


CLASSE D

Já no caso de fogos do tipo D, que envolvam, portanto, metais leves como por exemplo o sódio, o potássio, o alumínio, o magnésio ou o lítio, a melhor opção são os extintores de pó químico D. Na seleção deste agente extintor há, no entanto, que assegurar que é apropriado ao metal combustível em causa, de modo a garantir que o equipamento tem o desempenho esperado perante uma situação de incêndio.
 

CLASSE F

Finalmente, no caso de fogos que envolvam produtos para cozinhar, como óleos e gorduras vegetais ou animais (fogos da Classe F), os extintores de incêndio mais apropriados são os que utilizam como agente extintor o agente químico húmido, uma solução de água e acetato de potássio que transforma os óleos e gorduras para confeção de alimentos numa substância saponácea.

 

OUTROS CRITÉRIOS

Para a extinção de fogos em equipamentos elétricos sob tensão devem ser utilizados extintores de dióxido de carbono (não devem ser utilizados, se o difusor for metálico), pó químico ou à base de água que tenham cumprido o ensaio dielétrico definido na norma europeia EN 3-7. A adequabilidade de um extintor para a utilização em fogos em equipamentos sob tensão pode ser confirmada no rótulo do extintor.

A utilização de pó químico seco em espaços fechados deverá ser convenientemente avaliada, uma vez que a descarga deste agente extintor em espaços fechados poderá causar uma redução súbita da visibilidade e, portanto, colocar em causa a evacuação do edifício e mesmo as ações de combate ao incêndio.

Para além da eficácia do extintor e das classes de fogos para as quais é adequado, na seleção de um extintor há que ter ainda em consideração fatores como o tempo de descarga e o alcance do equipamento, bem como a experiência que os potenciais utilizadores deste tipo de equipamentos têm no seu manuseamento e as condições ambientais em que o extintor vai ser utilizado (por exemplo, não é adequado utilizar extintores de dióxido de carbono em locais onde o vento possa afetar adversamente o alcance ou a direção da descarga).

Os extintores de incêndio mais usuais são os portáteis. No entanto, deve ser considerada a utilização de extintores móveis em áreas onde exista um elevado risco de incêndio ou em situações em que exista necessidade de uma elevada capacidade de extinção.

Como Utilizar os Equipamentos para Extinguir Incêndios

COMO UTILIZAR UMA MANTA DE INCÊNDIO:

 
  • Desligar a fonte de calor, se tal for possível e seguro. Caso contrário, desligar a fonte de calor assim que as chamas tenham sido apagadas
  • Retirar a manta de incêndio do seu invólucro e abri-la completamente, de modo a garantir que cobre a totalidade do foco de incêndio
  • Antes de avançar em direção ao foco de incêndio, garantir que está posicionado entre este e uma saída de emergência
  • Manter a manta acima dos ombros, garantindo que as partes expostas do corpo estão protegidas pela manta e aproxima-la do foco de incêndio, olhando por cima da manta de incêndio, de modo a garantir uma boa visibilidade da ocorrência
  • Cobrir o foco de incêndio completamente com a manta de incêndio, de modo a abafar a totalidade das chamas
  • Manter a manta de incêndio sobre o foco de incêndio entre 30min a 1h, de modo a evitar reacendimentos
  • Depois de colocar a manta sobre o foco de incêndio, abandonar o local sinistrado e fechar a porta correspondente, chamando de imediato os bombeiros, através do número nacional de emergência (112)
  • Não reutilizar a manta de incêndio 
 

COMO UTILIZAR UMA BOCA DE INCÊNDIO DO TIPO CARRETEL:


Bocas de Incêndio Manuais:
  • Abrir completamente a válvula rodando-a no sentido anti-horário antes de retirar a mangueira do tambor
  • Puxar a mangueira em direção ao foco de incêndio
  • Garantir que está posicionado entre o foco de incêndio e uma saída de emergência
  • Controlar a descarga utilizando a agulheta (ligado, desligado, fecho, pulverização ou jato)
  • Aplicar a água na base do foco de incêndio, mantendo-se afastado dos fumos e vapor de água

Bocas de Incêndio Automáticas:
  • Puxar cerca de 2m a 3m de mangueira
  • A boca de incêndio é automaticamente abastecida com água
  • Puxar a mangueira em direção ao foco de incêndio
  • Garantir que está posicionado entre o foco de incêndio e uma saída de emergência
  • Controlar a configuração da descarga utilizando a agulheta (ligado, desligado, fecho, pulverização ou jato)
  • Aplicar a água na base do foco de incêndio, mantendo-se afastado dos fumos e vapor de água 

Mais informações no Folheto Promocional Carretel
 
 

COMO UTILIZAR UM EXTINTOR DE INCÊNDIO:

 
  • Garantir que está posicionado entre o foco de incêndio e uma saída de emergência
  • Puxar a cavilha de segurança
  • Apontar o difusor/mangueira para a base do foco de incêndio, a partir da distância de segurança recomendada
  • Pressionar o manípulo de descarga de modo a efetuar a descarga do agente extintor
  • À distância de segurança recomendada, varrer o foco de incêndio com o difusor/mangueira de um lado ao outro até garantir a extinção do foco de incêndio
  • Vigiar o local da ocorrência de modo a evitar eventuais reacendimentos